Weby shortcut
Youtube da UFG
TV UFG
Rádio Universitária
Nota4

Cursos da Regional Goiás conquistam conceito 4 no MEC

Por weberson dias. Criada em 09/10/18 17:09. Atualizada em 09/10/18 17:10.

A excelência no ensino de graduação na Regional Goiás da UFG tem se consolidado dia após dia. Por conta disso, alcançar o conceito 5 do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira do Ministério da Educação (INEP/MEC) e conquistar a avaliação de “excelente” é uma meta dos cursos. Embora com muitas limitações, numa escala onde a nota 1 é equivalente a “insuficiente” e 5 adotada como qualificação “excelente”, os cursos da Regional Goiás têm conquistado a nota 4, conceito “muito bom”, confirmando sua importância para o desenvolvimento da Região e compromisso social com ensino, pesquisa e extensão.

 

Cursos

O mais recente reconhecimento, realizado no mês de agosto deste ano, aconteceu no curso de Educação do Campo. Avaliado pela primeira vez, o Ledoc obteve conceito 4, sendo considerado muito bom. O curso foi o último a receber a visita dos avaliadores do MEC para seu reconhecimento, sendo a quarta visita de uma comissão do Ministério à Regional.

O primeiro curso da Regional a receber a equipe do INEP foi o Direito em 2016, e, conseguiu alcançar a segunda maior nota (4), ingressando na categoria de muito bom, na avaliação dos pareceristas que emitem os conceitos ao final do processo, renovando, portanto, o status de reconhecimento, no caso Direito.

Nesta ordem, o Serviço Social foi o segundo curso da Regional a receber a visita. Na oportunidade, obteve a nota 4, sendo considerado “muito bom”. O curso é o primeiro do Estado implantado em uma universidade pública.

Quem também foi qualificado como “muito bom” foi o curso de Administração, o terceiro a receber avaliadores do órgão. O curso já formou duas turmas. A Terceira turma recebe o canudo em março de 2019.

 

Avaliação

A escolha dos pareceristas é feita entre professores de instituições de ensino superior, responsáveis por analisar, entre outros critérios, três dimensões: infraestrutura, organização didático-pedagógica e qualificação do corpo docente nos cursos da Regional. Os avaliadores ainda realizam visitas às instalações dos cursos e participam de reuniões com dirigentes, docentes, discentes e com a Comissão Própria de Avaliação (CPA), responsável pela autoavaliação da Universidade.

De acordo com diretor da Regional, Renato de Paula o nível de avaliação demonstra que temos fragilidades que precisam melhorar, porém, mantemos a tradição da excelência no ensino. “As avaliações demonstram o compromisso dos professores, alunos e técnicos em construir uma Regional com cursos de qualidade e excelência, capaz de formar bons profissionais. Embora haja cursos implementados com muita dificuldade, num cenário  difícil de corte de recursos e falta de infraestrutura adequada, temos enfrentado esses desafios com muita criatividade e construindo alternativas. Temos conseguido bons resultados. As notas corresponderam às expectativas de nossa comunidade acadêmica”, destacou ele. De acordo com o diretor, os únicos cursos que ainda aguardam a visita do MEC para avaliação são Arquitetura e Urbanismo e as Filosofias (Licenciatura e Bacharelado).

 

 

Fonte : Amanda Justo

Categorias : Noticias

Listar Todas Voltar